sábado, 24 de maio de 2008

Plataforma contra a obesidade põe portugueses a "mexer"

Brigadas da Energia Positiva animaram ruas do Porto numa acção contra a obesidade




No âmbito do dia nacional de luta contra a obesidade, a 24 de Maio, o Movimento Energia Positiva, projecto conjunto da Plataforma Contra a Obesidade, da Direcção-Geral da Saúde (DGS) e da Galp Energia, saiu à rua esta terça-feira, para sensibilizar a população a adoptar um estilo de vida mais saudável. Crianças são o grupo de maior risco

Além de alertar as pessoas para os perigos associados à obesidade, a iniciativa, que decorreu em Lisboa e no Porto, teve como objectivo reduzir a incidência da pré-obesidade e da obesidade, diminuir a prevalência desta condição nas crianças, adolescentes e adultos e reduzir o número de casos de pessoas reincidentes.

Com o mote "não fique parado, movimente esta ideia por uma vida mais positiva e saudável", as Brigadas da Energia Positiva promoveram animações de rua ao som do jingle que a plataforma criou, cantado pelo ex-D'Zrt Vítor Fonseca e entregaram panfletos informativos. Além disso, adoptaram o hip-hop como estilo de dança "por ser bastante ritmado e cheio de energia", factores "imprescindíveis" para uma vida saudável, lembrou Isabel Calado, porta-voz do Movimento Energia Positiva.
.

video

.
A responsável defende que as iniciativas de rua deviam ser mais promovidas, porque "geralmente geram a curiosidade junto das pessoas que circulam nos locais e proporcionam uma experiência positiva para quem assiste, deixando fortes impressões".

A escolha do ritmo hip-hop não foi fortuita. Trata-se de um estilo de dança que está na "moda" e é facilmente reconhecido pelo público mais jovem. "São as crianças e os jovens que apresentam elevadas taxas de obesidade e que se encontram na idade da criação de hábitos e de estilos de vida, que geralmente se mantêm na idade adulta", disse Isabel Calado.

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), em 2005 cerca de 20 milhões de crianças com idade inferior aos cinco anos apresentavam excesso de peso. Para contrariar estes números, Isabel Calado defende ser "urgente mudar comportamentos, através da adopção de estilos de vida mais saudáveis que passam por uma alimentação equilibrada e pela prática de actividade física regular".
.
Fonte da Notícia : JPN- Publicada em: 20.05.2008 por Anabela Seabra

Sem comentários: