sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Médicos norte-americanos derrubam mitos da ciência


Uma noite de Inverno com um gorro, um boné ou um chapéu, é uma noite de Inverno mais quente. Mas ninguém perde metade do calor do corpo se tiver a cabeça destapada. Este é um dos vários mitos que foram derrubados na última edição do British Medical Journal, num artigo escrito por Rachel Vreeman e Aaron Carroll da Univesidade do Indiana, em Indianapolis


É crença comum que comer à noite engorda mais, que as crianças não devem comer açúcar porque ficam hiperactivos, que os suicídios aumentam durante a época natalícia, que as ressacas têm cura, que perdemos mais calor através da cabeça e finalmente que as flores de Natal poinsettia -Euphorbia pulcherrima- são tóxicas.

Investigadores resolveram comprovar cientificamente a veracidade destes seis mitos associados a esta temporada do ano. Procuraram evidência cientifica em estudos publicados que apoiassem ou refutassem estas crenças. E descobriram que todos os mitos são falsos e não há evidência médica que os comprove.


Com gorro ou sem gorro

Quando faz frio, cobrir a cabeça não faz nenhuma diferença.
À medida que se aproxima o Natal e com ele o frio de Inverno as pessoas começam a usar chapéus ou gorros porque sempre lhes disseram que se perde 40 a 45 % do calor corporal através da cabeça.
Falso! Afirmam os autores. “ A temperaturas baixas perde-se calor através de qualquer parte do corpo a descoberto.


Muitos acreditam cegamente que se não comer à noite não engordará.

Uma alimentação nocturna não torna ninguém mais gordo. Os autores citam um estudo sueco com 83 mulheres obesas e 84 não-obesas, que mostrou que as obesas tem mais peso porque comem mais alimentos, porque fazem mais refeições e não porque comem mais tarde. "Um estudo de 86 homens obesos e 61 de peso normal não encontrou diferenças relacionadas com o horário da alimentação. Em mais de 2.500 pacientes o comer à noite não aparece associado a excesso de peso, mas fazer mais de três refeições ao dia foi ligado a ter sobrepeso ou ser obeso", prossegue o artigo. Quem evita tomar café da manhã também tende a engordar, mas não porque come mais à noite - e sim porque, nesse caso, come-se mais ao longo do dia. .
“ A única certeza é que qualquer pessoa aumenta de peso porque consome mais calorias do que aquelas que gasta referem os autores.

Mitos do açúcar

Não foram encontradas provas de que o açúcar tornasse as crianças hiperactivas
"Encontramos pelo menos 12 estudos controlados que analisaram como reagem as crianças a una dieta que contém distintos níveis de açúcar", explicam.
Nenhum dos estudos encontrados, nem sequer aqueles que analisam crianças com TDAH ( transtorno de deficit de atenção por hiperactividade) mostraram diferenças de comportamento entre crianças que haviam consumido açúcar ( dos doces, chocolates e de fontes naturais) e as que não o ingeriram”.

Os investigadores também não encontraram evidências científicas de que os suicídios aumentem durante as festividades, ou de que as flores de Natal sejam tóxicas.
Os estudos científicos também não comprovaram a existência de algum remédio eficiente para evitar a ressaca.
“ A única forma de evitar uma ressaca é beber com moderação ou não beber nenhum”.

2 comentários:

MB disse...

De facto por vezes há mitos que são alimentados durante anos e anos e é graças ao trabalho de alguns cientistas ou investigadores que os mesmos se desmistificam. Artigo muito interessante.

MB disse...

Mas é óbvio que a desmistificação de que de comer muito à noite engorda é discutível, pois o organismo à noite não queima tantas calorias e portanto certos alimentos (principalmente os mais calóricos) não são benéficos para quem quer fazer dieta.
Não é errado comer à noite, é errado comer certos alimentos à noite.